Entrevista: Andrew Short
Por: Renato Dalzochio Jr
Em 22/02/2013
"Estou muito animado para trabalhar com a BTO"

De todos os pilotos que disputam a categoria 450cc do AMA Supercross, Andrew Short disparado teve a temporada mais tumultuada até agora, e nada tem a ver com lesões ou resultados ruins dentro das pistas. O ano começou com Short a bordo de uma Honda da equipe Chaparral, da qual ele fazia parte. Entretanto, após algumas etapas a equipe fechou as portas.

Sem desistir, ele comprou uma CRF 450R e seguiu por conta própria na disputa do campeonato. No entanto, com a transição da costa Oeste para a Leste, Short assinou com a equipe BTO Sports KTM para acelerar o modelo SX-F 450cc no restante da temporada e no AMA Motocross. A equipe aliás conta com apoio de fábrica.

Confira abaixo entrevista concedida por Short nesta semana ao site da revista norte-americana Transworld Motocross, durante um treino na pista de Milestone Motocross Park, em Riverside na Califórnia. A estreia dele será neste sábado (23) durante a oitava etapa do campeonato, no Georgia Dome em Atlanta.

Você está agora em sua terceira moto nesta temporada. Pode nos falar sobre a transição para a equipe BTO Sports/KTM?

Vou estrear pela equipe neste fim de semana. Vai ser divertido para mim. É minha terceira mudança de moto em um curto espaço de tempo. É uma tarefa grande, mas eu lidei muito bem com ela até agora e acho que esta semana não será uma exceção. Tive dois bons dias com a moto na pista da KTM e outro com a chuva que caiu aqui em Milestone (local onde a entrevista foi concedida).

Você já andou de KTM antes mas a moto mudou muito desde a última vez que você pilotou?

Pilotei a 450cc na fase de desenvolvimento, então eu sabia quais eram as características da moto e o que esperar dela. É difícil comparar 2011 com 2013 porque fiquei um longo período pilotando por uma marca diferente. Se fosse um período curto seria mais fácil comparar. Minha KTM agora não é completamente igual à anterior em termos de alguns acessórios. Mas eu gosto e estou muito animado para trabalhar com a BTO. Vamos esperar pra ver, é um momento emocionante para mim.

Temos de perguntar, você pode nos comentar o que motivou o fechamento da equipe Chaparral?

Foi uma chatice para todos e eu desejo a melhor sorte possível para todas as pessoas envolvidas. Agora eu estou apenas olhando para frente, tentando permanecer na pista, competindo e representando as pessoas que confiaram em mim o tempo todo.

Quão difícil foi a mudança da Chaparral Honda para um esquema Honda privado e agora para a BTO Sports/KTM?

Têm sido um desafio. Essencialmente são três motos diferentes, portanto para qualquer um seria difícil. Quando você faz isso por uma profissão, você pilota o tempo todo e começa a conhecer sua moto como uma luva. Para mim foi meio estranho. Definitivamente não é uma vantagem, para mim foi uma desvantagem. Mas estou ansioso pelo desafio e espero ter alguma estabilidade na KTM.

VEJA TAMBÉM:
GP Brasil do Campeonato Mundial de Super Enduro é neste sábado
Em 27/02/2016
Estrutura já está pronta no Ginásio do Mineirinho em Belo Horizonte (MG). É hora das motos acelerarem
Kevin Strijbos fora do MX das Nações 2015
Em 23/08/2015
Piloto da Suzuki rompeu dois ligamentos do polegar, será operado e vai desfalcar a Bélgica em Ernée, na França
Mecânica By Roque Colman #62: combustível
Em 09/12/2013
Qualidade e capacidade de explosão estão diretamente ligados a durabilidade e performance do motor
COMENTÁRIOS
Publicidade
211 Bikes MXGP Live
Copyright © 2013 CROSSCLUBE BRASIL. All rights reserved.